domingo, 17 de março de 2013

Três vivas à pena de morte!

Sem perdão

Mas não há quem apanhe, empale e trucide os montes de esterco (sem ofensa ao esterco) que andam para aí a violar pessoas, isoladamente ou em grupo? Da Índia, então, chegam-nos diariamente notícias de vomitar o estômago, como esta, sucedida na passada sexta-feira. Pena de morte quando a vítima morre ou fica em estado vegetativo, governo indiano? Really? Só?
 
Para quando, governos do mundo, a imposição da pena de morte, inapelável, para casos de prova provada e comprovada de culpa de violação, homicício, negligência grave? Para quando o justo valor atribuído à vida, o que equivale a neutralizar, sem mais delongas, os agentes que a ameaçam de forma espúria, repetida, irremissível?
 
Quantas mais pessoas terão de ser traumatizadas e sobreviver às marcas da barbárie todos os seus dias, culminando o castigo numa pena ridícula e adicionalmente ofensiva da dignidade das vítimas, dos seus familiares e amigos?
 
Para quando o pénis arrancado à paulada e a sangue frio a esses indizíveis monstros, para o remate final, justo e cego, como só assim pode e deve ser?
 
Quando perceberemos que civilização nada tem que ver com tolerâncias criminosas, com ai-não-me-toques tipo "ai, ui, pena de morte não, ninguém tem direito"? Ninguém tem direito? Uma pinóia! Ai mas nunca se sabe se a pessoa se pode redimir e tornar-se um monje tibetano cheio de graça a distribuir comida pelos pobres e pétalas perfumadas a quem passa? Quando, quando perceberemos, e como me custa esta insciência coletiva, que a redenção de quem ceifou uma vida, ou de quem a maltratou até ao limite do inconcebível, não vale nada? Estou-me positivamente nas tintas para a redenção destes cabrões. Não têm mesmo de ter nenhuma outra oportunidade, simplesmente porque cometeram pecado capital, roubaram a soberana oportunidade dos outros: a existência, ou uma existência sã, ou a inocência. Quero que morram, e que morram aflitivamente. E que todos os outros calhordas ponham os olhos nisso e percebam que o mesmíssimo lhes sucederá, caso deitem mãos à obra para desgraçar a vida de mais alguém.
 
Digam-me qual é o botão, mostrem-me a alavanca, e aqui me voluntario para acabar com todos os FDP deste mundo, flagelos cuja serventia é zero e cuja redenção é nada!

Quando é que vamos deixar de ser cúmplices desta vergonha e desta sucessão de atrocidades?

2 comentários:

Pagu disse...

Pena de morte dolorosa, terrível, penosa para todos os que desgraçam a existência de inocentes.

Pena de morte sim e JÁ!!!

Tamborim Zim disse...

Apoiado!