sábado, 22 de Setembro de 2012

Piérias Pilhérias de Zim


Outambo

Sobre a terra quente
E dentre pomares de fruta amadurecida
Penso como é bom

Que este profundamente iniciático

Som suspenso

De Outono
Nos permita descansar num denso minuto

A ânsia enfeita-se demoradamente

Com vestidos e colares de folhas recurvadas e secas
As impressões de estio ofegam, sem estridor, impressas nas madeiras que sustentam o mundo

Enquanto progrido na paisagem quieta e cheia
De tonalidades díspares (porque é ainda jovem o Outono)

Bendigo as espessas folhas por não desperdiçarem a sua fresca velhice
Em limpezas de pele e liftings

E vou ler o Unamuno

Sem comentários: