quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Delete aos assassinos

Eu dava a inimputabilidade ao Renatinho Seabra, dava. Com vergastadas e sentença de morte. Exaurida, exaurida de ouvir falar de crimes e de vidas terminadas por gente má. Enquanto a vida corria fácil, era saudável. Quando há chatice, claro... é a psicose. Poupem-me.

5 comentários:

Pagu disse...

Nada sei do assunto mas equaciona-se assumir que o dito cujo é maluco?

Ah....sei...quando andava a viajar e a comer à conta do outro era gente do bem, agora que virou um monstro, é chanfrado.

Se isso for verdade, a pouca credibilidade que ainda existe na justiça sofre um duro revés.

Cadeira eléctrica com ele ou então, voto a favor de lhe fazerem o mesmo. Afinal eu sou a favor do olho por olho,dente por dente, neste caso.......por.....(para completar a gosto).

Tamborim Zim disse...

Equaciona-se, equaciona-seeeeeeee. Remate cheio de pontaria ma chér, cheio de pontaria;)))))

Pagu disse...

Bom, aguarde-se que o bom senso apareça....eu nem quero admitir o contrário.

menina lamparina disse...

Engraçado (mas sem graça nenhuma) como ultimamente essa parece ser uma moda... Fiz porcaria? Mas não fui eu, foi a doença. Um transtorno psíquico, um distúrbio de personalidade, uma psicose, whatever. São desculpas impecáveis, é o que é.

Tamborim Zim disse...

Ah pois é!